Vinhos da Enoport apresentados no IVV

 

Já há uns anos largos, ainda estava a trabalhar no Expresso, que fui às Caves Velhas da Enoport, em Bucelas, fazer uma reportagem e provar uns maravilhosos vinhos tintos velhos, com dezenas de anos, que havia por lá. Foi uma prova individual, muitíssimo didáctica, e provou mais uma vez que os nossos vinhos não ficam atrás de nenhum outro país, tanto em qualidade, como em longevidade. Esta foi uma experiência que todos os produtores que têm vinhos velhos deveriam fazer com jornalistas (olhem eu a puxar a asa à minha sardinha) porque há por aí muito tesouro escondido nas caves que deveria ser divulgado.


Mas hoje vamos falar de brancos. Desta vez a Enoport veio a Lisboa, ao Instituto da Vinha e do Vinho, apresentar uma selecção de vinho brancos que produz em várias regiões. Foram apresentados três vinhos em pré-lançamento e dois em lançamento de novas colheitas, todos eles com a casta Arinto como denominador comum.  Na gama Cabeça de Toiro, da região Tejo, foi apresentada a nova colheita do branco Reserva 2016 (um blend de 3 castas com Arinto, Sauvignon Blanc e Chardonnay da região do Tejo) e ainda o monocasta Cabeça de Toiro Arinto  Reserva 2016 (uma novidade em pré-lançamento, limitada a uma edição de 5.000 garrafas). O curioso deste vinho é que foi feito a partir de um clone trazido da Quinta do Boição (a propriedade do grupo em Bucelas) e plantado na região do Tejo para tentar replicar o estilo dos vinhos estremes de Arinto que produz há muitos anos em Bucelas: vinhos frescos, com acidez elevada, excelente estrutura e uma longevidade singular.  


Da região DOC Bucelas (Lisboa), mais precisamente da Quinta do Boição, vêm os outros 3 vinhos que foram apresentados neste evento. Na marca Quinta do Boição, foi apresentada uma nova imagem, inspirada numa cepa com mais de 50 anos de um talhão de vinha muito antiga existente na quinta, e ainda a apresentação de novas colheitas, com um perfil ligeiramente renovado.


Esta gama é composta por 2 vinhos brancos e 2 vinhos tintos, tendo neste evento apenas sido apresentados os dois vinhos brancos, um Reserva de 2016 e um Grande Reserva Vinhas Velhas de 2014, ambos 100% Arinto da região de Bucelas (os tintos estão ainda a cumprir o seu estágio de garrafa, tendo lançamento previsto para o final deste ano). No final, foi ainda apresentado o clássico Caves Velhas Bucellas, com toda a  juventude da sua nova colheita de 2016. 


A prova foi comentada por João Vicêncio, responsável de Viticultura da Enoport e um especialista da casta Arinto, e Nuno Faria, responsável de Enologia do grupo e um apaixonado por novas experiências enológicas. Na foto ainda a Maria José Viana, Responsável de Relações Institucionais da Enoport, e Ana Sampaio, do Marketing e Relações Públicas. 

 

Jul, 31, 2017

0

SHARE THIS