Novo projecto de vinhos no Alentejo

 

Este é um projecto de vinhos que começa como tantos outros. Paulo Alho, empresário da construção e caçador na região de Mértola, apaixonou-se por uma bonita propriedade, que acabou por adquirir em 2007. Situada a poucos quilómetros da vila de Mértola, baixo Alentejo, a Herdade Vale d’Évora tem 550 hectares e está integrada no Parque Natural do Vale do Guadiana, serpenteada pelo rio. Sendo também um apaixonado por vinhos, rapidamente decidiu investir em vinha, e em 2009, plantou 10 hectares, dando início ao projeto Discórdia. E porquê esta designação? Simplesmente porque ninguém concordava com o nome que o vinho poderia ter, daí a graça, e ser ter tornado no nome ideal. No final de 2016, entrou como sócio o amigo Vítor Pereira, estando ainda no projecto dois filhos de Paulo Alho, Miguel (como gestor) e Paulo (como sócio).


Na vinha foram plantadas talhões de quatro castas tintas (Touriga Franca, Touriga Nacional, Alicante Bouchet e Syrah) e três de brancas (Arinto, Verdelho e Antão Vaz), sob a batuta do viticultor francisco Mata. Os vinhos foram elaborados pelo enólogo Diogo Lopes, que trabalha em outros projectos bem conhecidos, como a Adega Mãe (em Lisboa) ou a Adega Cooperativa dos Biscoitos (na Terceira, Açores), em parceria com Anselmo Mendes.


Embora ainda tenha muito caminho para andar (a vinha precisa de tempo para ganhar estrutura e o seu potencial) os dois vinhos da Discórdia, o branco da colheita de 2015 e o tinto de 2014, estão bem para vinhos de começo. Simples, frescos, frutados. Promete-se para o futuro um grande reserva tinto e, ainda em estudo, uma colecção de monovarietais das castas Syrah e Touriga Nacional em Mértola, terra agreste e árida, de solos xistosos, que se prevê dar um carácter diferente do que se está à espera em vinhos alentejanos. Um projecto a seguir com atenção. .

 

 

Jul, 28, 2017

0

SHARE THIS