Novidades nos vinhos de Paulo Laureano

OPINIÃO
 
Volta e meia vou parar ao Solar dos Presuntos, restaurante que os produtores de vinho escolhem muitas vezes para conjugar boa comida tradicional com os seus vinhos. Desta vez foi o Paulo Laureano (haverá alguém com um bigode tão emblemático?) que veio a Lisboa apresentar as suas novas colheitas e algumas novidades, a par com a mudança de imagem de alguns dos seus vinhos.

O Paulo foi o primeiro enólogo que conheci quando comecei a estudar vinho. Tinha acabado de vir da Austrália onde estagiou e trabalhou, começou a ensinar na Universidade de Évora e já tinha algumas consultorias. O seu projecto nasceu entretanto e poder testemunhar toda esta evolução desde então até agora é um verdadeiro prazer por tudo o que já vivemos os dois no mundo do vinho. Agora, são várias as novidades: a gama Paulo Laureano Premium Vinhas Velhas, que está no mercado há já alguns anos, deixa agora de utilizar a designação Premium, que caiu na banalidade, e passa apenas a chamar-se Paulo Laureano Vinhas Velhas (branco e tinto), ambos provenientes da Vinea Julieta, a vinha mais emblemática da empresa na Vidigueira, com vinhas que vão dos 35 aos 70 anos ou mais. Mas a coisa não fica por aqui e Paulo Laureano decidiu ainda ampliar a gama, introduzindo duas novas referências com a designação Private Selection, que vêm substituir a linha Paulo Laureano Reserve (que deixa de existir). Para colmatar, lançou ainda um tinto biológico, o Paulo Laureano Organic Wine tinto, que vem ao encontro das novas tendências. Ao provar os vinhos percebemos que os nomes mudaram mas o estilo a que o Paulo Laureano nos habituou está lá. Vinhos envolventes, com boa presença de taninos, mas elegantes e com personalidade.
 

Mar, 23, 2017

0

SHARE THIS