Crónicas em forma de vinho

A história da Herdade do Rocim é bonita, e já vos vou contar, mas primeiro quero dizer-vos que foi lançado um vinho de eleição, um topo de gama apresentado recentemente num jantar em Lisboa e que se chama Crónica #328. Esta é a primeira vez que este tinto está a ser lançado, uma homenagem ao pai de Catarina Vieira (proprietária e enóloga da Herdade do Rocim), que além de um influente empresário de Leiria era também um homem que gostava de escrever, nomeadamente para o jornal de Leiria onde foi director. Escreveu também para revistas e jornais no âmbito da intervenção cívica, do desenvolvimento regional e de outros temas. Crónica foi também o nome escolhido, aquela que não escreveu, e que agora se traduz em forma de vinho e de um livro que o acompanha com as crónicas publicadas.

Elaborado com as castas Aragonês e Trincadeira, o perfil deste vinho é clássico, tal como José Ribeiro Vieira era um homem clássico que gostava de tintos (embora também gostasse de brancos) como nos revela a filha, Catarina. As uvas foram pisadas a pé com engaço, o vinho estagiou 24 meses em barricas novas de carvalho francês e foram lançadas somente 1256 garrafas. O resultado é um vinho denso, estruturado, envolvente e muito equilibrado. Tenho a certeza que José Ribeiro Vieira ficaria muito feliz em provar este vinho.

E agora sim, um pouco da história: Após terminar a licenciatura em Agronomia, Catarina Vieira comentou com o pai que gostaria de ter um hectare de vinha no Alentejo para fazer ensaios; mas nunca pensou que em vez disso que fosse dar uma herdade. Adquirida em 2000, encontra-se situada entre a Vidigueira e Cuba, no Baixo Alentejo. São 120 hectares de terra, dos quais 70 de vinha, a maioria plantada no início deste século, com castas tradicionais portuguesas e estrangeiras, brancas e tintas. A par, foram ainda mantidas e recuperadas vinhas mais antigas. Uma adega, inaugurada em 2007 encerrou o ciclo de investimentos. Hoje, a Herdade do Rocim pode orgulhar-se de ser uma das propriedades de referência no Alentejo, tendo à frente uma eficiente e bem preparada equipa de enologia onde Catarina e o marido, Pedro Ribeiro, também enólogo, se incluem.

 

Out, 08, 2018

0

SHARE THIS