Vinhos Velhos – Um belo presente

Ouçam com atenção. Ando sempre a dizer-vos que bebam os vinhos da vossa garrafeira, não é? Pois é. O que estão a ver na fotografia é apenas uma pequena amostra de vinhos de alguém que os guardou e não teve a oportunidade de os beber. O filho dessa pessoa, uma alma generosa que sabe da minha paixão por vinhos velhos, agarrou na colecção do pai que ninguém bebia, e deu-ma. Sim, deu-ma sem eu pedir nada, algo que me comoveu bastante e que agradeço infinitamente. Agora, durante os próximos tempos, vou deleitar-me a beber / provar / estudar estes vinhos velhos do Dão, da Bairrada, do Douro e da Península de Setúbal, a maioria tintos, de várias colheitas, sendo o mais antigo de 1963 e o mais recente de 1984. Um dia, quando escrever algum livro sobre vinhos velhos, estejam certos que as conclusões que vou tirar destes vinhos vão juntar-se a outras tantas que tenho escrito ao longo da minha carreira, para provar que as nossas castas são tão boas e longevas como quaisquer outras, incluindo as francesas.

Este post serve acima de tudo, não para vos fazer inveja, mas para dizer que quem não esvaziar os vinhos de garrafeiras próprias ou alheias, tem aqui uma casa de portas abertas para os receber. Disponham, sim?

 
 

Set, 03, 2018

0

SHARE THIS