Vindima nocturna

Tantos anos a virar frangos (que é como quem diz, a fazer vindimas) e ainda não tinha feito nenhuma nocturna. É verdade. Decidi que este ano é que era, e por isso vim fazê-la à Quinta de Santa Luzia, no Funchal (Madeira) uma propriedade gerida directamente pela Madeira Wine Company, que ali vai buscar as uvas para elaborar os seus vinhos generosos. A casta apanhada a noite passada foi a Boal (o grau de maturação chegou aos 11,5 graus), utilizada para a produção de vinhos Madeira meio-doces. Os seus cachos são grandes (alguns que apanhei pareciam mesmo fenómenos do Entroncamento), tem uma película resistente e dá origem a vinhos medianamente encorpados e ricos, muito apreciados pelo seu equilíbrio acidez/doçura e pelo seu característico aroma adquirido ao longo do envelhecimento em cascos. A Boal, juntamente com a Sercial, Verdelho, Terrantez, e Malvasia são as castas mais nobres da ilha da Madeira, utilizadas maioritariamente em vinhos de melhor qualidade.

Voltar à ilha é sempre um prazer, agora no âmbito do Festival Island Wine Spirit 2018, organizado pela Madeira Wine Company, uma das mais prestigiadas empresas de vinho da ilha. Desta vez, acho que nem vou ter tempo de me ir agarrar à estátua do Cristiano Ronaldo!

 

Set, 06, 2018

0

SHARE THIS