Herdade de Espirra – um tesouro bem escondido

 Tomem bem atenção. Há poucos produtores que fazem vinho como lhes dá na real gana. Ou seja, não fazem vinho a pensar propriamente no negócio (neste caso não é a sua actividade principal), mas sim, em manter as tradições vitivinícolas da região onde está inserida. Um lugar onde o fazer bem feito fala mais alto. 
Falo da Herdade de Espirra, na Península de Setúbal, um tesouro bem escondido adquirido em 1985 pela Portucel (hoje Navigator), 1700 hectares onde existem eucaliptos, sobreiros, viveiro florestal, vinhas, colmeias e pavões. De vinha são 37 hectares e a produção que existe (120 mil litros ano – cerca de 60.000 garrafas e o restante em bag-in-box) é escoada quase toda internamente pelos mais de 3.000 funcionários da Navigator. Depois, é também vendido à porta da adega e ainda está presente em alguns locais do canal Horeca (garrafeiras e restaurantes selecionados). Mas são poucos, muito poucos. Por isso, se encontrar algumas garrafas por aí, não deixe de experimentar, porque são vinhos feitos a pensar, acima de tudo, na vontade de mostrar o carácter da região, na sua genuinidade e qualidade. 
A produção é quase toda de Castelão, excepto quatro hectares que foram entretanto plantados com Aragonês, Touriga Nacional e Alicante Bouschet. As duas gamas existentes, Pavão de Espirra e Herdade de Espirra, revelam vinhos diferenciados, com uma frescura e elegância logo evidentes, sendo vinhos gastronómicos, desde os estilo mais simples ao mais complexo. Ana Varandas e Rui Reguinga são os enólogos responsáveis pelo perfil dos vinhos.

Remontando ao passado, a herdade pertenceu a José Maria dos Santos (1832-1913), antigo proprietário e um visionário agricultor português que no final do século XIX plantou na região da Península de Setúbal a maior vinha contígua plantada, um total de 2.400 hectares. Mais tarde, em 1872, a vinha foi destruída pela filoxera e mais tarde reconvertida em culturas florestais. Ao adquirir 1700 hectares desta propriedade em meados da década de 80, as vinhas foram reestruturadas e as instalações recuperadas, servindo hoje para a produção de diversos produtos e também para a realização de eventos da empresa.
 
 
 
 

Mai, 23, 2018

0

SHARE THIS