Crónicas de viagem – parte III

O desespero do Telmo Alves é bem visível nesta fotografia. Quando estava preparado para fugir do mulherio no terceiro e último dia de viagem, teve de ser encurralado à força na adega do Château Pichon Longueville onde se debateu, implorou por socorro, mas de nada lhe serviu. Teve de se aguentar connosco o resto da manhã, durante o almoço e no avião. Apesar do sacrifício, nós sabemos que valeu a pena. Só não sabemos se agora o Telmo é o homem mais odiado / invejado à face da terra pelos outros homens. Mas sabemos, temos a certeza, que esta viagem foi única e memorável. Há um antes e depois deste encontro, e o Telmo nunca mais vai ser o mesmo. Porque, na verdade, ele percebeu que esta foi, provavelmente, uma das viagens mais louca e divertida dos últimos tempos. Obrigada Telmo, que tiveste a ideia do século ao trazer-nos a Bordéus. Obrigada também ao Cyril Forcade e ao Benôit Verdier, da Seguin Moreau, pela aprendizagem e por nos terem recebido maravilhosamente. Obrigada a todas as ‘magnifiques dames du vin’ pelos fantásticos momentos. Pela companhia, pelas conversas e, acima de tudo, pelas gargalhadas. Há muito que não me doía o estômago de tanto rir. Beijooos tantos, a todas
  
 

Nov, 25, 2017

0

SHARE THIS